Sistema digestivo e hepático das aves ( 2ª parte )

pombos - produtos para pombos - produtos para columbofilia

Sistema digestivo e hepático das aves ( 2ª parte )

Sistema digestivo e hepático das aves ( 2ª parte )

Alimentação mineral, administração, substituição.

Quando fazer?

Como proceder?

Quais os cuidados?

E quando se fazem tratamentos, e na campanha desportiva, retira-se ou não?

Quando faço tratamentos, véspera e dias de enjaulamento e chegada das provas, devo retirar o “grit”, o “pó mineral”, o “tijolo” aos pombos?

A satisfação das necessidades de “elementos grosseiros e minerais” relacionados com a digestão deve ser uma constante, não deve estar sujeita a variações significativas.

Se estes elementos forem substituídos ou acrescentados regularmente, não deixando faltar a variedade de todos os elementos, as aves encontram-se satisfeitas, a ingestão é mínima, não interferindo com os tratamentos e resultados das provas e recuperação pós provas.

A ingestão desequilibrada / exagerada destes elementos ocorre em estados de carência muitas vezes provocados por supressão de fornecimento temporária, debilidade física e orgânica, assim como para colmatar exageros de outras substâncias ingeridas que intoxicam o organismo.

As intoxicações do organismo podem ser minimizadas com o uso regular do HepatoxTotal+

As aves tentam satisfazer as suas necessidades através dos elementos que encontram à sua disposição, exagerando muitas vezes devido ao desequilíbrio em que se encontram, ou porque os elementos disponíveis não são suficientemente concentrados nas substâncias causadores da carência.

A melhor forma de satisfazer e corrigir as necessidades e carências minerais é fazê-lo de forma gradual através de complexos minerais concentrados e equilibrados (Haemo Plus) adicionados na alimentação de base, durante 3 a 4 dias consecutivos, e só então colocar de forma gradual à livre disposição os “elementos grosseiros e minerais”.

A administração de “elementos grosseiros” e outros relacionados com a alimentação mineral requer alguns cuidados, tais como:

– Reposição de forma gradual – após estado de carência a reposição deve ser gradual, evitando-se desta forma exageros e alterações bruscas de pH e concentrações salinas elevadas nocivas para o organismo e flora intestinal;

– Realizar-se no período da manhã, após a refeição. Desta forma evita-se uma ingestão exagerada e a acumulação única de “elementos grosseiros” que bloqueariam a moela, dificultando a digestão e a passagem de outras substancias;

Disponibilidade de água durante todo o dia, evitando problemas de concentrações salinas elevadas no organismo, principalmente em períodos quentes ou aves susceptíveis a desidratação;

Cuidado muito especial, para situações de desidratação e provas desgastante (1), e mesmo aves que chegam atrasadas, as quais exageraram na ingestão de “elementos minerais”, acabando muitas vezes por morrer devido ao excesso de minerais / concentração salina nos fluidos corporais.

Para precaver estas situações recomenda-se retirar os “elementos grosseiros” e “minerais” do alcance destas aves.

  (1) os pombos chegados das provas encontram-se desidratados, ou seja, perderam água dos tecidos, verifica-se um aumento da concentração de sais nos fluidos corporais.

A administração de electrólitos e açucares simples concentrados, logo na chegada das provas é desaconselhada por este motivo; estando indicada para mais tarde.

Aconselhamos a ver o vídeo sobre os minerais na criação e reprodução.

E o resto do “sistema digestivo e “entero-hepatico”?

E a “flora intestinal”? Onde e como atua?
Estes temas serão abordados num próximo trabalho.

 

Share this post